Max Rossi/Reuters
Max Rossi/Reuters

Bispo australiano criticado por gestão de casos de pedofilia renuncia

Imagem do bispo ficou desgastada após readmitir um sacerdote que tinha sido acusado de abusos

EFE,

04 Abril 2011 | 10h17

Cidade do Vaticano - O papa Bento XVI aceitou nesta segunda-feira o pedido de renúncia apresentado pelo bispo de Maitland-Newcastle (Austrália), Michael John Malone, de 72 anos, cuja diocese se viu envolvida em casos de abusos sexuais a menores por parte de sacerdotes.

O pontífice, segundo nota oficial do Vaticano, aceitou a demissão em conformidade com o artigo 401/2 do Código de Direito Canônico, pelo qual "se roga encarecidamente" aos bispos diocesanos que apresentem sua renúncia "se por doença ou outra causa grave for diminuída sua capacidade para desempenhar seu cargo".

Um sacerdote dessa diocese, John Sydney Denham, de 67 anos, se declarou culpado em 2010 perante um tribunal por ter abusado de 39 menores entre 1970 e 1980.

O bispo Michael Malone foi criticado por ter readmitido à atividade pastoral um sacerdote que tinha sido acusado de abusos, mas foi depois declarado inocente.

Em entrevista recente, Malone afirmou que estava "cansado, esgotado e desiludido", e que não tinha forças para continuar no cargo.

O bispo foi substituído por William Wright, nascido em 1952 em Washington DC (EUA). Ele no Wimblendon College, da Grã-Bretanha, e em Sydney, onde foi ordenado sacerdote em 1977.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.