Bispo Cândido Padin morre no mosteiro de São Bento

Sua morte deu-se por causas naturais, às 10h30, quando lia o breviário no mosteiro em São Paulo

Jair Aceituno, especial para o Estado,

25 de janeiro de 2008 | 20h37

Morreu nesta sexta-feira, 25, no mosteiro de São Bento, em São Paulo, o bispo d. Cândido Padin, de 92 anos, bispo auxiliar do Rio de Janeiro de 1962 a 65. Sua morte deu-se por causas naturais, às 10h30, quando lia o breviário no mosteiro, onde vivia desde a saída da diocese de Bauru.   O velório começará no sábado, 26, às 13 horas. Na segunda-feira, 28, haverá missa de exéquias, às 11 horas, seguida do sepultamento no cemitério do mosteiro. Sua atividade foi marcada fortemente por contestação aos regimes militares do Brasil e nos países latino-americanos. O bispo também dirigiu as dioceses de Lorena, interior de São Paulo, de 1965 a 70 e de Bauru entre 1970 e 90.   Natural de São Carlos (SP), Padin nasceu em 1915, ordenou-se padre em 1946. Era doutor em filosofia e bacharel em Direito. Atuou ainda como secretário da educação da CNBB entre 1962 e 68 e presidente do Conselho de Educação do CELAM (Conselho Episcopal Latino-americano) de 1967 a 72.

Tudo o que sabemos sobre:
Bispo Cândido Padin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.