Bispo excomungado defende casamento de padres

'A castidade não é para todos, mas um sacerdote é um sacerdote sempre', disse Milingo

Ansa

17 de abril de 2008 | 21h24

Monsenhor Emmanuel Milingo, bispo que foi excomungado por ter ordenado bispos alguns padres casados nos Estados Unidos, declarou à Ansa não ter apreciado as palavras de Bento XVI quando o Papa disse que "é melhor haver bons padres que muitos padres." Veja também: Fotos da missa campal em estádio de Washington Papa reafirma diretrizes para educação católicaVisita de Bento XVI aos EUA é mais pastoral que políticaPapa diz que sociedade dos EUA pode minar fé Católica "Por que Bento XVI não readmite ao ministério tantos padres casados, cerca de 150 mil no mundo, que mesmo com mulheres são sacerdotes para sempre?", questionou Milingo.  "Não existem só padres pedófilos, mas também alcoólatras ou com problemas porque não conseguem viver sem uma mulher ao lado. A castidade não é para todos, mas um sacerdote é um sacerdote sempre", disse o bispo, que se encontra na Itália e amanhã parte para uma viagem à Coréia, Zâmbia, Camarões e Japão, acompanhado da mulher, a coreana Maria Sung.  Sobre o fato de ter sido excomungado por Bento XVI, Milingo responde: "Não fui excomungado, aquilo são palavras, e após o Concílio não têm mais sentido: a igreja católica não deve ameaçar nem julgar, mas exercitar a misericórdia e nós padres casados não somos leprosos."

Tudo o que sabemos sobre:
papa Bento XVIEstados Unidoscastidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.