Bispo irlandês apresentará renúncia ao papa por abusos sexuais

Segundo especialistas, esta pode ser a primeira de muitas renúncias na hierarquia da Igreja Católica na Irlanda

Efe,

07 Dezembro 2009 | 14h59

Donal Murray, bispo de Limerick, no oeste da Irlanda, deve apresentar nesta segunda-feira, 7, em Roma sua renúncia ao papa Bento XVI, por participação em casos de abusos sexuais contra menores por sacerdotes católicos na arquidiocese de Dublin.

 

Veja também:

linkFreiras irlandesas destinam 128 mi de euros a vítimas de abusos

linkDezenas de irlandeses vítimas de abuso buscam aconselhamento

linkIgreja irlandesa teve imunidade para esconder abusos sexuais

 

Segundo confirmaram nesta segunda-feira fontes eclesiásticas, o bispo está na capital italiana para enfrentar as consequências do "Relatório Murphy", que revelou há duas semanas os mecanismos seguidos durante décadas pela Igreja Católica irlandesa para ocultar, em conivência com o Estado, os abusos.

 

A pressão sobre Murray aumentou no último sábado, quando o primaz irlandês, o cardeal Sean Brady, disse acreditar que o bispo "faria o correto".

 

Segundo especialistas, esta pode ser a primeira de outras renúncias na hierarquia da Igreja Católica na Irlanda, seriamente ameaçada por casos de abusos sexuais em várias dioceses da ilha.

 

O Ministério de Assuntos Exteriores irlandês deve se reunir esta semana com o principal representante da Santa Sé em Dublin, o arcebispo Giuseppe Leanza, para abordar essa questão e os resultados de outra investigação sobre abusos, na diocese de Cloyne, no sul do país.

 

O bispo de Cloyne, John Magee, teve que abandonar o cargo em março por violar regras estabelecidas pela Igreja para abordar este tipo de assunto, adiando o começo das investigações sobre supostos abusos.

Mais conteúdo sobre:
bispo Irlanda abusos sexuais Papa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.