Bispo italiano proíbe transexual de ser padrinho de casamento

Excluído da cerimônia, o deputado Vladimir Luxuria divulgou nota de repúdio á decisão do prelado

Ansa,

07 de novembro de 2007 | 15h29

O bispo da província de Foggia, região sul da Itália, Francesco Pio Tamburrino, impediu que o deputado transexual do Partido da Refundação Comunista (PRC), Vladimir Luxuria, seja padrinho do casamento da prima.   "É um ato gravíssimo que põe em evidência mais uma vez a distância entre a cúpula eclesiástica e a comunidade católica, que é cada vez mais aberta e tolerante", disse Luxuria em uma nota.   "Aceitei uma solicitação de minha prima e de seu futuro marido sem apresentar problema algum sobre sua decisão de se casar com ritos católicos. Sou uma pessoa educada, respeito os valores alheios e esperava uma atitude igualmente tolerante do bispo", acrescentou Luxuria na nota.   "Acredito que esta proibição não é legítima, pois, não acho que minha pessoa não reúne os requisitos exigidos para ser testemunha de um casamento.   O caso me entristece. Muitos, menos conhecidos do que eu, sofrem estas humilhações sem poder fazer nada".

Tudo o que sabemos sobre:
igreja católicacatolicismotransexual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.