Bispo vê risco de Igreja repetir erros do caso Galileu

Prefeito dos Arquivos Secretos do Vaticano adverte contra permanência de 'velhos preconceitos'

Ansa,

02 de julho de 2009 | 16h14

greja Católica corre o risco de recair nos "mesmos preconceitos" que tinha contra o cientista italiano Galileu Galilei (1564-1642), afirmou o prefeito dos Arquivos Secretos do Vaticano, bispo Sergio Pagano.

 

Nasa combina poder de 3 telescópios em homenagem a Galileu

 

Durante uma coletiva de imprensa para apresentar a nova edição das atas do processo de Galileu, Pagano comentou que algumas vezes tem a "impressão de que estamos condenados aos mesmos preconceitos que havia na época da teoria copérnica".

 

O cientista italiano foi condenado pela Inquisição em 1633 por ter aderido à teoria heliocêntrica de Nicolau Copérnico, que defendia que o Sol era o centro do Universo, e não a Terra, como se imaginava na época.

 

"O caso Galileu ensina a ciência a não se presumir professora da Igreja em matéria de fé e sacra escritura, e contemporaneamente ensina a Igreja a se aproximar dos problemas científicos, sejam eles ligados aos mais modernos estudos sobre células estaminais e genética, por exemplo, com muita humildade", explicou o prefeito dos Arquivos Secretos.

 

Pagano observou também que o Galileu, com seu Diálogo sobre os dois máximos sistemas do mundo: ptolomaico e copernicano (obra em que os personagens debatem as diferentes interpretações da astronomia), "pareceu ensinar aos teólogos como interpretar a Bíblia, e ao papa como ser papa".

 

No fim de 2008, a Santa Sé anunciou que arquivaria o projeto de erguer uma estátua em homenagem ao físico nos jardins do Vaticano, proposta da Pontifícia Academia de Ciências. Neste ano é comemorado o Ano Internacional da Astronomia.

Tudo o que sabemos sobre:
galileuvaticanoastronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.