BNDES deve financiar pesquisas em biotecnologia

Recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), dos fundossetoriais e até dos fundos de pensão poderão custear pesquisas na área de biotecnologia, segundo o ministro de Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos. A necessidade de encontrar uma nova forma de financiar esse setor de ponta foi um dos temas discutidos na terça-feira, durante a instalação do Fórum de Competitividade da Biotecnologia, no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).?Já estava claro que a biotecnologia era uma ferramenta importante da nova política industrial e tecnológica?, disse Campos. ?Com a instalação do Fórum, foram definidas as tarefas que terão de ser cumpridas.? Segundo o ministro, o Brasil está em condições de se tornar um dos cinco principais geradores de biotecnologia do mundo.?Embora reconhecêssemos que a biotecnologia é um setor portador de futuro, não sabíamos o que havia no Brasil?, admitiu o secretário de Desenvolvimento da Produção do MDIC, Carlos Gastaldoni.EmpresasNo levantamento mais recente, feito em 2001, havia 354 empresas atuando nesse setor no Brasil, a metade delas de micro e pequeno portes. O faturamento total chegava a R$ 9 bilhões.Na primeira reunião do Fórum, foram criados seis grupos de trabalho que terão prazo de até um ano para apresentar propostas nas seguintes áreas:investimentos, desenvolvimento de recursos humanos, marco regulatório e biotecnologia voltada à agropecuária, à saúde humana e à indústria química.?Em um ano teremos definido onde estamos e para onde vamos, e como?, disse Gastaldoni.FinanciamentoO financiamento é um dos pontos mais delicados, segundo Eduardo Campos, porque o perfil das empresas de biotecnologia é muito diferente do das empresas tradicionais. As pesquisas são desenvolvidas, em grande parte, por empresas de micro e pequeno porte.Quando elas chegam a uma tecnologia com retorno comercial, obtêm grandes lucros. Mas, para chegar lá, muitas vezes desenvolvem outros produtos que não têm retorno econômico, apesar do alto custo da pesquisa. Trata-se, portanto, de um investimento de risco.Ele disse que em cerca de 90 dias deverá ter um modelo de financiamento em que se utilizem recursos dos fundos setoriais e do BNDES.O Fundo Setorial de Biotecnologia, conta com um orçamento de R$ 22,8 milhões este ano. Também será possível utilizar recursos do Fundo Verde-Amarelo, que são da ordem de R$ 213,6 milhões esta ano. Há, ainda, a possibilidade de criar instrumentos para que fundos de pensão também financiem pesquisas.

Agencia Estado,

15 de setembro de 2004 | 10h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.