Bolsa de Resíduos supera expectativa da Fiesp

Com cinco meses de funcionamento, a Bolsa de Resíduos da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) já conta com um volume de R$ 9 milhões em resíduos ofertados e 328 empresas cadastradas em todo o País, 76% delas concentradas no Estado de São Paulo. De acordo com o balanço da Fiesp, o número de acessos ao site (www2.ciesp.org.br/bolsa) superou em 70% as expectativas da entidade, com 25 mil visitas.Até o momento, cerca de 10% dos negócios foram fechados, com produtos como lâmpadas, couro, solventes, bombonas plásticas, óleos, tintas, papelão, entre outros. ?A meta é chegar a 20% de negócios fechados em abril do ano que vem, quando a bolsa completa um ano?, disse Angelo Albiero Filho, diretor de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da entidade.?O objetivo do serviço, que funciona como uma espécie de classificados na internet, é estimular a reutilização de materiais e criar uma nova fonte de receita para os industriais?, disse Albiero. Para tanto, o interessado preenche um cadastro com informações da empresa e do produto que pretende comprar ou vender, como quantidade, preço, condições comerciais, entre outras. O negócio é fechado entre as empresas, sem interferência da Fiesp e sem cobrança de taxas.Segundo o levantamento da Fiesp, as pequenas e médias representam 78% dos cadastros. Além de ganhar com a venda dos resíduos, o empresário pode economizar parte da quantia gasta na contratação de empresas responsáveis pela disposição adequada de resíduos.

Agencia Estado,

24 de setembro de 2002 | 16h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.