Brasil garante ter apoio da UE para metas em energia

O embaixador do Brasil na ONU, Gelson Fonseca, negou que a União Européia esteja dividida em relação à proposta de introduzir metas para o emprego de fontes renováveis de energia. ?A União Européia está do nosso lado?, garantiu Fonseca ao Estado. "Os Estados Unidos é que não estão." O embaixador, que chefia a equipe de oito negociadores brasileiros nas reuniões preliminares à Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável, reconheceu, no entanto, que, dos parágrafos do Plano de Implementação da Agenda 21 que tratam do tema da energia, "o mais complicado" é o que estabelece metas. A União Européia apresentou, na reunião preparatória de Bali (maio e junho), uma proposta de meta global de 15% até 2010. Os negociadores sabem que ela é ambiciosa demais e esperam o momento certo para apresentar a proposta brasileira, de 10%. Para aprová-la, no entanto, vários países, incluindo o Japão, exigem que entre nesse cálculo a energia gerada por grandes hidrelétricas e pelas chamadas fontes naturais, basicamente a lenha queimada nos países pobres. Outros se mostram intransigentemente contra, como os Estados Unidos - cujo governo tem estreitas ligações com a indústria petrolífera - e os membros da Opep.Veja mais notícias e a galeria de fotos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.