Brasil quer ser fornecedor do Tamiflu para o continente

O Brasil quer ser o principal fornecedor para a América do Sul do antiviral Tamiflu, um dos remédios com maior probabilidade de ser eficaz contra uma eventual pandemia de gripe aviária. Há poucos dias o governo brasileiro apresentou uma proposta formal à empresa suíça Roche para a transferência de tecnologia."Esperamos ter uma resposta da empresa na semana que vem", disse Jarbas Barbosa, secretário nacional de Vigilância Sanitária.Hoje o vírus da gripe atinge somente animais, mas o temor dos especialistas é de que sofra uma mutação e comece a contaminar pessoas. Como o laboratório não teria capacidade para fornecer remédios a todo o mundo, a Roche se dispôs a negociar a licença de produção.Barbosa, que participa em Genebra da reunião mundial para definir uma estratégia global contra a pandemia, admite que a solução para o Brasil pode não ser apenas a quebra de patentes do antiviral."A produção do remédio é complexa e não adianta conseguirmos a licença para produzir. Precisamos da tecnologia e isso é o que estamos querendo negociar. Fizemos a entrega de uma proposta formal e agora esperamos uma resposta. Sabemos que há muitas empresas e países interessados nessa cooperação no mundo, mas acreditamos que somos fortes candidatos", disse o funcionário do Ministério da Saúde.   leia mais sobre gripe aviária

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.