Brasil seqüencia vírus da lagarta da soja

O Brasil é o primeiro país a seqüenciar o genoma do vírus da lagarta da soja, usado no controle biológico de pragas em todo o mundo. O seqüenciamento foi feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em parceria com universidades brasileiras e do exterior.A lagarta da soja come as folhas, o que reduz significativamente a produtividade das lavouras. O controle pode ser feito com aplicação de inseticidas ou com bioinseticidas. O controle biológico é mais eficaz, mais barato, sem riscos para o meio ambiente."Cerca de 2 milhões de hectares são tratados, por ano com produtos à base do vírus para reduzir a infestação da lagarta da soja, principal praga da leguminosa no Brasil. É o maior programa de controle biológico de pragas do mundo", explicou a pesquisadora da Central da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Maria Elita de Castro. Ela integra a equipe que fez o seqüenciamento.Uma vez seqüenciado o genoma, a proposta é estudar a aplicação da lagarta em outro bioinseticida. O vírus da lagarta da soja foi isolado no Brasil no final da década de 1970 e, a partir do início da década de 80, vem sendo usado no maior programa de controle biológico de pragas do mundo.O seqüenciamento será apresentado até sexta-feira em workshop na Embrapa Recursos Genéticos, em Brasília. O nome científico do vírus da lagarta da soja é Baculovirus anticarsia ou nucleopoliedrovírus de Anticarsia gemmatalis.

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2003 | 14h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.