Brasil tem 14 cidades com mais de 1 milhão de habitantes

Três ficam no Estado de SP. Duas outras cidades já se aproximam da marca: São Gonçalo (RJ) e São Luís (MA)

05 de outubro de 2007 | 17h01

O IBGE divulga nesta sexta-feira, 5, a contagem oficial da população dos 5.564 municípios brasileiros. Pelo resultado, o Brasil tem 14 cidades com mais de um milhão de habitantes, e duas com mais de 900 mil. Em 1999, eram 12 os municípios com mais de um milhão de moradores.   A cidade mais populosa do País é São Paulo, com 10,8 milhões, seguida do Rio de Janeiro, com 6 milhões. A terceira é Salvador, com 2,8 milhões. São Gonçalo, no Estado do Rio, e São Luís, Capital do Maranhão, são os municípios que já têm mais de 900 mil habitantes.       O Estado de São Paulo tem, ainda, as duas únicas cidades com mais de um milhão de moradores que não são capitais - Campinas e Guarulhos - e, ainda, a cidade com menos habitantes: Borá, com 804 moradores. O Brasil, segundo o relógio populacional do website do IBGE, tem 189,8 milhões de habitantes. Em 1996, a população total era de 157 milhões, um aumento de 32 milhões em dez anos.   A contagem servirá de base para a distribuição do Fundo de Participação dos Municípios. Os prefeitos têm 20 dias para questionar números que considerem incorretos. A contagem definitiva será apresentada em 31 de outubro.   A contagem aconteceu em 5.414 municípios com até 170 mil habitantes e em mais 21 municípios situados em 14 Estados onde um ou dois excedem esse teto populacional. Além da população recenseada nos municípios onde houve contagem, os resultados divulgados pelo IBGE incluem uma parcela estimada para os chamados domicílios fechados, locais onde não foi possível entrevistar os moradores.   Para os municípios onde não houve contagem, o IBGE projetou uma estimativa para 2007. Estimativas indicam que se for mantido o atual padrão reprodutivo (dois filhos por mulher), daqui a 50 anos a população deverá parar de crescer.   "A apuração revela um contingente populacional inferior àquele que esperávamos encontrar porque projetávamos a população com base em padrões reprodutivos da virada de 1990 para 2000", disse o presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes.   Apesar da redução do número de habitantes - a contagem até 1 de abril registrou 183 milhões de habitantes, ante previsão de 185 milhões -, o IBGE constatou aumento do número de domicílios: quase 2 milhões a mais. "Mais domicílios visitados e menos população.    É uma mudança no padrão da família brasileira: muitas casas com uma pessoa morando, arranjos familiares novos", disse Nunes.

Tudo o que sabemos sobre:
ibgecontagempopulaçãobrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.