Britânicos poderão pesquisar com embriões híbridos

Autoridades de saúde liberaram estudos com células humanas e animais.

BBC Brasil, BBC

17 de janeiro de 2008 | 16h05

Autoridades de saúde britânicas deram permissão para que cientistas criem embriões híbridos de células humanas com óvulos de animais para pesquisa.A Autoridade de Fertilização Humana e Embriologia da Grã-Bretanha (HFEA, na sigla em inglês) autorizou o processo depois de uma consulta que indicou que a população do país aceita a idéia.Dois centros de pesquisa, o King's College de Londres e a Universidade de Newcastle, poderão iniciar os trabalhos sob uma licença com validade de um ano para o estudo.Especialistas afirmam que o uso destes embriões é muito importante para a pesquisa de várias doenças.A equipe do pesquisador Stephen Minger, do King's College de Londres, quer criar híbridos para estudar doenças conhecidas por suas causas genéticas, como o mal de Alzheimer e o mal de Parkinson.Células-troncoCientistas querem criar embriões híbridos fundindo células humanas com óvulos de animais para a extração de células-tronco. Os embriões híbridos resultantes seriam destruídos depois de 14 dias.As células-tronco podem ser descritos como os blocos mais básicos de construção do corpo e têm a capacidade de se transformarem em qualquer tipo de tecido.A equipe do cientista Lile Armstrong, da Universidade de Newcastle, espera usar a técnica para compreender como as células-tronco se desenvolvem e se transformam em tecidos diferentes.No futuro, esta informação poderá levar os cientistas a desenvolverem novos tecidos em laboratório."Agora que temos a licença, podemos começar o trabalho o mais rápido possível. Já trabalhamos muito transferindo células animais para óvulos de bovinos então esperamos um progresso rápido", disse Armstrong.ÓvulosAtualmente, os cientistas que pesquisam esta área precisam usar óvulos humanos deixados em clínicas, sobras de tratamentos de fertilização. Mas estes óvulos estão em falta e nem sempre são de boa qualidade.Críticos desta linha de pesquisa com embriões híbridos afirmam que não deve haver a criação de um híbrido de humanos e animais a partir destes embriões e acrescentam que esta pesquisa altera a natureza e não é ética.A lei britânica já proíbe a implantação de embriões híbridos de humanos com animais em um útero."A decisão da JFEA representa um retrocesso desastroso para a dignidade humana na Grã-Bretanha. A falta de distinção das fronteiras entre humanos e outras espécies é errada e vai contra o cerne do que nos faz humanos", disse John Smeaton, diretor nacional da Sociedade Britânica de Proteção das Crianças que ainda não Nasceram (SPUC, na sigla em inglês).BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.