Buraco negro em galáxia vizinha passa a emitir 100 vezes mais energia

A intensificação das emissões é provocada por um aumento na taxa de material que cai no abismo

estadao.com.br

01 Junho 2010 | 15h14

Imagem de Andrômeda, cujo buraco negro central ganhou vida de repente. DSS/Divulgação

 

Imagens do núcleo da galáxia de Andrômeda, ou M31, feitas pelo Observatório Chandra de Raios X, mostram que um buraco negro supermassivo passou a emitir grandes quantidades de radiação a partir de 2006.

 

Observatório orbital confirma buracos negros ativos em fusão de galáxias

Astrônomos encontram buraco negro gigante fora do lugar

 

Uma análise detalhada dos dados produzidos pelo Chandra mostram, segundo cientistas, que o buraco negro mantinha-se em uma espécie de "estado de repouso" entre 1999 e 2006, quando de repente tornou-se mais de 100 vezes mais brilhante.

 

Segundo pesquisadores ligados ao Chandra, essa é a primeira vez que um buraco negro supermassivo de uma galáxia próxima apresenta um evento do tipo. A intensificação das emissões é provocada por um aumento na taxa de material caindo no buraco negro.

 

Após o pico de 2006, a emissão de radiação diminuiu, mas se manteve dez vezes superior à vista antes da intensificação.

 

Assim como o buraco negro no núcleo de nossa galáxia, a Via-Láctea, o que reside no centro de Andrômeda é surpreendentemente calmo, mas palavras dos pesquisadores do Chandra, emitindo muito menos energia do que seria de se esperar, por conta do reservatório de gás que existe ao seu redor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.