Bush dirá ao papa que o mundo precisa de uma lei moral

O presidente dirá que os corações do povo americano estão abertos, de acordo com porta-voz

Ansa,

15 de abril de 2008 | 18h14

O presidente dos EUA, George W. Bush, fará uma cerimônia de boas-vindas regada de elogios e apoio ao papa Bento XVI. O pontífice chegou aos Estados Unidos nesta terça-feira, 15, mas o discurso oficial de boas-vindas acontece na quarta-feira, no que será o último encontro do papa com Bush como presidente.   VEJA TAMBÉM Bento XVI chega aos Estados Unidos para visita de seis dias Papa elogia papel da fé na vida pública dos Estados Unidos Papa verá nos EUA catolicismo em transformação EUA só normalizaram relações com o Vaticano em 1984   "O presidente Bush vai dizer ao papa que os Estados Unidos e o mundo precisam ouvir sua mensagem, que Deus é amor, que a vida é uma e sagrada e que todos devemos ser guiados por uma lei moral comum", afirmou a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino.   "Em seu discurso de boas-vindas na Casa Branca, o presidente dirá que os corações do povo americano estão abertos à sua mensagem de esperança", continuou a porta-voz.   A recepção a Bento XVI também será calorosa no Yankee Stadium de Nova York, no domingo, durante a missa, se depender do batalhão da Guarda Nacional de NY, o Fighting 69th. A unidade militar, com antigas raízes católicas (provenientes da Irlanda), será comandada pelo sargento John Madera.   Madera e muitos dos soldados da unidade estiveram com o Fighting 69th no Iraque, durante o incidente de 4 de março de 2005 em uma estrada de Bagdá, quando soldados americanos abriram fogo contra uma comitiva italiana.   "Temos muitos rapazes de fé católica que estão contentes de poder saudar o papa", disse Madera ao jornal Daily News.

Tudo o que sabemos sobre:
papabushbento xvi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.