Bush pede US$ 7,1 bi para combater gripe aviária

O presidente americano, George W. Bush, apresentou nesta terça-feira sua estratégia para lutar contra uma eventual pandemia de gripe aviária no país. Ele pediu U$ 7,1 bilhões ao Congresso dos Estados Unidos para um fundo de emergência.Nesse total, estão incluídos, por exemplo, U$ 1,2 bilhão para a fabricação de 20 milhões de doses da atual vacina contra a cepa letal H5N1, U$ 2,8 bilhões para investir na criação de uma nova vacina e U$ 1 bilhão em remédios antivirais."Para responder a uma pandemia, devemos ter planos de emergência em todos os Estados americanos e garantir que todos os níveis de governo estejam preparados", afirmou o presidente. Bush também lamentou o fato de seu país ser "vulnerável" e incentivou os esforços dos grupos farmacêuticos na produção de vacinas de última geração.ÁsiaNesta terça-feira, segundo dia do congresso entre representantes de países do sul da Ásia para discutir a doença, realizado em Brisbane, na Austrália, a Organização das Nações Unidas (ONU) informou que o combate à gripe aviária na região vai custar ao menos US$ 102 bilhões nos próximos dois ou três anos."Caso a doença saia do leste da Europa e chegue à África, os fundos de emergência terão de ter US$ 75 bilhões a mais", disse Subhash Morvaria, representante da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), na Tailândia.Já o ministro das Relações Exteriores da Austrália, Alexander Downer, pediu tranqüilidade frente aos temores de disseminação mundial da gripe aviária. "Não há necessidade de pânico nesse estágio e não precisamos exagerar os riscos", afirmou.Os governos do Vietnã e do Camboja pediram ajuda financeira e técnica para combater a doença.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

01 de novembro de 2005 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.