Bush propõe mercado de metano contra o aquecimento global

Os Estados Unidos trabalharão com pelo menos sete outros países para utilizar as emissões de gás metano como combustível e reduzir a poluição que contribui com o aquecimento global, anunciou o governo Bush. O plano requer a transferência de tecnologia americana para outros países a fim de ajudá-los a criar um mercado para o metano, um gás envolvido no aquecimento da Terra. Um máximo de US$ 53 milhões será gasto para incentivar empresas privadas a investir no estrangeiro.O plano foi anunciado pelos chefes da Agência de Proteção Ambiental, do Departamento de Energia, pelo principal conselheiro do presidente George W. Bush para questões ambientais e por um subsecretário de Estado, em Washington. O projeto foi descrito como a transferência de uma tecnologia comum nos Estados Unidos para, inicialmente, sete outros países: Austrália, Índia, Itália, Japão, México, Reino Unido e Ucrânia.O metano coletado virá principalmente de aterros, minas de carvão e sistemas de petróleo. Os EUA vêm se opondo às restrições à emissão de dióxido de carbono, citado como o principal responsável pelo aquecimento global.

Agencia Estado,

28 de julho de 2004 | 15h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.