Califórnia vai incluir conquistas dos gays nos livros da rede pública de ensino

Mas o departamento de educação disse que o orçamento não permite a troca dos livros

REUTERS

15 Julho 2011 | 15h25

SÃO FRANCISCO (EUA) - A Califórnia se tornou o primeiro estado americano a exigir que os livros didáticos de escolas públicas incluam as conquistas de gays, lésbicas e transexuais americanos, nesta quinta-feira, 14, a partir da assinatura do governador Jerry Brown, que torna a medida lei.

"A história deveria ser honesta," declarou Brown em um comunicado.

A medida passou por votação no início deste mês, o partido democrata votou a favor enquanto os republicanos votaram contra.

"Esta lei revisa leis anteriores que proíbem discriminação na educação e assegura que as contribuições importantes de americanos de todas as origens e classes sociais sejam incluídos em nossos livros de história", disse Brown. "Isso representa um passo importante para o nosso estado."

A lei também exige que as escolas públicas ensinem as contribuições da população das ilhas do Pacífico e dos deficientes.

O estado da Califórnia já exigiu a inclusão histórica das conquistas dos nativos americanos, afro-americanos, e de pessoas de origem mexicana, asiática e europeia.

Randy Thomasson, presidente do site conservador SaveCalifornia.com disse que Brown esmagou os direitos paternos da ampla maioria de pais e mães que não querem que seus filhos tenham uma lavagem cerebral sobre sexualidade."

"A única forma de os pais livrarem suas crianças desta doutrinação imoral é retirando-os do sistema público de ensino, que não é mais para os pais moralmente sensíveis e suas crianças," disse Thomasson.

Pode levar vários anos para que os estudantes californianos comecem a ler sobre as conquistas de gays nos livros.

O departamento de Educação do estado disse que, por causa do orçamento, novos livros didáticos não deverão ser adotados até 2015.

Mais conteúdo sobre:
educação gay

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.