Camada de ozônio deve piorar até meados deste século

Estudos indicam que o buraco da camada de ozônio continuará aumentando a cada ano, pelo menos até meados deste século, apesar da redução da concentração de gases na atmosfera, informou o cientista Geir Braathen do Departamento de Pesquisa Atmosférica e Meio Ambiente da Organização Meteorológica Mundial (OMM)."Levará várias décadas" para que os gases que têm provocado o fenômeno - clorofluorcarbonetos (CFC) e halon - caiam a níveis aceitáveis ou desapareçam.Observações feitas entre maio passado e meados deste mês indicam que "as condições meteorológicas na estratosfera da Antártica são próximas à média registrada entre 1995 e 2004".O perigo, no entanto, aumenta quando o buraco cresce até chegar ao extremo sul da América do Sul. Isso já aconteceu antes, mas por poucos dias e com um efeito muito limitado.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

24 de agosto de 2005 | 10h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.