Câmara Brasil-Alemanha anuncia vencedores do Prêmio Von Martius

A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha anunciou, hoje, em São Paulo, os vencedores do Prêmio Ambiental Von Martius, edição 2002. Os três primeiros colocados foram o Programa de Desenvolvimento de Sistemas Sustentáveis de Produção Agrícola e Conservação Ambiental, da organização não-governamental (ong) Terra Viva, da região de Itamaraju, Bahia, na categoria Humanidade; a Ação Contra o Aquecimento Global: Seqüestro de Carbono e Conservação da Natureza, da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), de Guaraqueçaba, litoral norte do Paraná, na categoria Natureza; e o projeto de Fôrmas Plásticas Recicláveis, realizado por Nelson Parente Júnior, em Santos, litoral paulista, na categoria Tecnologia.O projeto da Terra Viva hoje atinge mais de 150 famílias de assentados, em três localidades: Itanhém, Riacho das Ostras e Jucuruçu. Numa área onde a Mata Atlântica é extremamente fragmentada e continua sendo derrubada, inclusive para instalação de alguns dos assentados, a ong conseguiu convencer os agricultores a separar parte de suas terras para reflorestamentos - de essências nativas e espécies comerciais - utilizando diversas práticas ambientalmente corretas, de conservação de solos e produção orgânica. O apoio técnico à ?conversão? dos agricultores inclui educação ambiental e assessoria no processamento e comercialização dos produtos e já resultou em aumento de renda. No caso de Riacho das Ostras ainda se discute a importância de preservar o Parque Nacional do Descobrimento, com o qual o assentamento tem uma divisa de 5 quilômetros de extensão. O trabalho da Terra Viva é financiado pelo programa Projetos Demonstrativos (PDA), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) com recursos alemães, do banco KfW. Os projetos de seqüestro de carbono da SPVS, realizados em parceria com a ong americana The Nature Conservancy (TNC), pretendem retirar da atmosfera 2,5 milhões de toneladas de carbono, em 40 anos, com reflorestamentos e substituição de fazendas de búfalos por iniciativas mais sustentáveis. São 3 projetos em andamento, desenvolvidos desde 1999, com recursos de empresas que precisam comprar créditos de carbono: American Electric Power (7 mil hectares), General Motors (12 mil ha), e Texaco (mil hectares). Como o mercado de carbono ainda não está estabelecido, a nível mundial, a SPVS tem desenvolvido ou participado do desenvolvimento de metodologias de implantação deste tipo de projeto, variando desde a medição das quantidades de carbono seqüestrado até as formas de certificação.Já a tecnologia de reciclagem de plástico para fabricação de formas de concreto é resultado de uma pesquisa de dez anos, realizada pelo engenheiro civil Nelson Parente Júnior. As formas substituem a madeira utilizada na concretagem de vigas, na construção civil, com a vantagem de economizar o recurso (madeira) e reaproveitar o lixo mais volumoso e mais difícil de reciclar dos centros urbanos: PET, PVC e poliestireno. As formas são reutilizáveis e já estão sendo comercialmente produzidas pela Empresa Brasileira de Reciclagem (EBR). Elas ainda ajudam a economizar água, já que, ao contrário da madeira, não precisam ser molhadas antes da montagem dos moldes.Mais prêmios e menções honrosasInstituído em 2000, o Prêmio Ambiental Von Martius reconhece projetos e iniciativas de empresas, organizações não governamentais e órgãos governamentais, que tenham se destacado na promoção do desenvolvimento social, econômico e cultural, com respeito ambiental. Neste ano, o patrocínio foi da Degussa, Deutsche Bank, Henkel e Tetra Pak e houve 231 inscrições, avaliadas por um júri composto de 12 empresários e jornalistas ambientais. Além dos três primeiros colocados classificaram-se, respectivamente, em segundo e terceiro lugares, em cada categoria, os seguintes projetos: Unibanco Ecologia, pelo conjunto de financiamentos concedidos a projetos ambientais, e Mulheres das Águas, pelo trabalho de recuperação das matas ciliares no Rio das Brancas, no Planalto Central, na categoria Humanidade; Associação Soldadinhos da Natureza, pelo trabalho de arborização urbana realizado por crianças, e Animalis, um projeto de avaliação e conservação de aves e mamíferos da Faber-Castell em seus reflorestamentos, na categoria Natureza; Sistema Gesco Modular Compacto para Tratamento de Águas Residuárias, pelo desenvolvimento de um processo de tratamento e uso do lodo ativado, e Decantador em Tubos Perfurados, pela alternativa de separação de dejetos suínos, evitando o despejo in natura nos rios, na categoria Tecnologia.Ainda foram concedidas duas menções honrosas, na categoria Humanidade, para a Coonarte, uma cooperativa de mulheres, que produz artesanato com restos de tecidos, e a Sociedade do Amanhã, de reciclagem de alumínio, da Alcan. E uma menção honrosa na categoria Natureza, ao Sebrae de Alagoas, pelo incentivo ao artesanato de bambu como opção de renda na região canavieira do estado.

Agencia Estado,

26 de novembro de 2002 | 13h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.