Câmara discute caça de animais

A criação de parques de caça começou a ser discutida ontem, na primeira reunião da Câmara Técnica Federal de Fauna, logo após a posse dos 14 representantes de organizações não-governamentais, universidades e outras instituições públicas. O órgão consultivo do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) analisa a liberação da caça de animais. A atividade é proibida, à exceção das temporadas autorizadas no Rio Grande do Sul para combater espécies tidas como pragas para a agricultura. A Lei de Crimes Ambientais prevê multa de R$ 500,00 por exemplar capturado ilegalmente e pena de seis meses a um ano de prisão para o caçador. Fazendeiros de Minas Gerais e do Paraná querem saber sobre a possibilidade de repetir a experiência em seus Estados. A câmara também discutirá se cobras, escorpiões e aranhas devem ser criados como animais de estimação.

Agencia Estado,

06 de junho de 2002 | 10h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.