Campinas lança gestão compartilhada para parques

O modelo de gestão compartilhada do Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim, deCampinas, foi formalizado por meio de convênio assinado entre os governos estadual e municipal e as empresas envolvidas no projeto. A recuperação do parque está orçada em R$ 3,8 milhões e sua manutenção anual, em R$ 2,5 milhões. O convênio terá validade prorrogável de cinco anos.Petrobrás, Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) e Shell doaram, respectivamente, R$ 2 milhões, R$ 1,2 milhão e 600 mil para custear a reforma. Os R$ 2,5 milhões de manutenção serão divididos entre a prefeitura, que arcará com R$ 1,1 milhão; o Estado, com R$ 800 mil; e a Petrobrás, com R$ 600 mil anuais por quatroanos.O município cuidará da manutenção do parque ecológico e o Estado, da segurança. A administração ficará por conta da Comissão Técnico-Administrativa formada por umrepresentante do governo estadual e um da prefeitura.Também será nomeado um Conselho de Orientação com nove membros, três do governo estadual, três do município e outros três indicados pelas entidades parceiras.Outros parquesA gestão compartilhada envolvendo Estado, prefeitura e setor privado deverá ser estendida a outros parques, conforme o governo estadual. O próximo deverá ser o de Santo André, anunciou o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Segundo levantamento do próprio governo, são 102 parques no Estado.No de Campinas, a ONG Unipaz gerenciará os recursos da Petrobrás, que não pode transferir verbas diretamente para administrações públicas. As obras no parque serão iniciadas nas próximas semanas e a previsão é de que estejam concluídas até o final deste ano.A estatal vinculou o patrocínio à criação do Centro Integrado de Percepção Ambiental (Cipam), um espaço dentro do parque para a realização de eventos relacionados com questões ambientais, além de práticas culturais, arquitetônicas e construtivas.

Agencia Estado,

18 de maio de 2004 | 12h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.