Canadá quer metas pós-Kyoto até o fim de 2007

O presidente da 11.ª Conferência das Partes da Convenção do Clima da ONU (COP-11), o ministro do Meio Ambiente do Canadá, Stéphane Dion, deu um passo arriscado para tirar a reunião do marasmo e avançar nas negociações sobre temas ambientais.Ele propôs, na terça-feira, uma data limite para que os países da COP declarem seus compromissos após 2012, ano em que termina a primeira fase do Protocolo de Kyoto, acordo global que ataca a emissão de gases que causam o efeito estufa.O texto propõe que os termos da segunda fase de Kyoto sejam acordados até o fim da COP-13, em dezembro de 2007. Entre os pontos polêmicos que seguram o debate está o estabelecimento de metas de redução para países em desenvolvimento e para os Estados Unidos, o maior poluidor do mundo.Também nesta terça-feira cientistas americanos disseram que a camada de ozônio vai demorar mais tempo para se recuperar do que se pensava. A nova data é 2065, e não mais 2040 a 2050.Eles suspeitam que a causa seja o uso ainda corrente de modelos antigos de geladeiras e sistemas de ar-condicionado de carros nos Estados Unidos e Canadá, que liberam produtos químicos que destroem o ozônio.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

07 de dezembro de 2005 | 11h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.