AP
AP

Canadenses encontram navio do século 19 perdido no Ártico

Embarcação que buscava a Passagem do Noroeste ficou presa ao gelo em 1846; todos os tripulantes morreram no acidente

AFP

09 Setembro 2014 | 20h28

Canadenses localizaram neste domingo os restos de um dos barcos exploradores britânicos perdidos no Ártico em 1846, conforme anunciou nesta terça-feira, 9, o primeiro ministro do país, Stephen Harper, enaltecendo a descoberta como histórica.

A busca dos desafortunados HMS Erebus e HMS Terror, comandados pelo explorador britânico John Franklin, implicou, desde 2008, em seis expedições, que percorreram o fundo do mar em uma região vasta e gelada. Ainda não está claro qual dos navios foi descoberto.

"Os barcos de Franklin são uma parte importante da história do Canadá, já que suas expedições, há cerca de 200 anos, assentaram as bases da soberania do Ártico do Canadá", disse em um comunicado Harper, que se mostrou otimista com a descoberta do segundo barco.

O HMS Erebus e o HMS Terror eram as joias da Armada Britânica. Partiram da Inglaterra com 134 tripulantes em maio de 1845 para descobrir a Passagem do Noroeste - que liga o Oceano Atlântico ao Pacífico. Mas os marinheiros ficaram presos no gelo durante um ano e meio e acabaram sem reservas. 23 deles morreram em estranhas circunstâncias, segundo uma mensagem descoberta anos depois, e outros 105 deixaram os barcos com a intenção de alcançar terra firme; nenhum deles sobreviveu e os barcos foram engolidos pelo gelo.

Mais conteúdo sobre:
Canadá Arqueologia História

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.