Cangurus têm genoma similar ao dos seres humanos

Pesquisa descobriu que os marsupiais evoluíram na China e migraram através da América para Austrália

Efe

18 de novembro de 2008 | 17h00

Os cangurus provêm da China e têm genoma similar ao dos seres humanos, segundo afirmou nesta terça-feira, 18, um grupo de cientistas australianos ao apresentar, em Melbourne, o primeiro mapa detalhado do genoma desses marsupiais. Os cangurus evoluíram na China e migraram através da América para Austrália e Antártida, segundo o estudo do Centro de Excelência para a Genética dos Cangurus (KanGO) do Conselho de Pesquisa Australiano (ARC, em inglês). "O que fizemos foi um mapa bastante detalhado do genoma, que é como o mapa de uma rua com 20 mil casas", disse a diretora de pesquisa do KanGO, Jenny Graves. Os cangurus possuem 20 mil genes, muitos dos quais são iguais aos dos seres humanos, por isso "sua decodificação permitirá saber quem eram os seres humanos há 150 milhões de anos", segundo Graves. A pesquisadora assegura que seres humanos e cangurus se separaram na evolução há 150 milhões de anos, enquanto o rato e o homem compartilhavam um ancestral há apenas 70 milhões. "Há algumas diferenças. Nós temos um pouco mais disto, um pouco menos daquilo, mas são os mesmos genes e praticamente na mesma ordem", afirmou a diretora do KanGo. Existem 26 espécies de cangurus na Austrália e 200 de marsupiais, mas a pesquisa só estudou o Macropus eugenii.

Tudo o que sabemos sobre:
cangurugenomaciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.