Cardeais sorteiam quartos em casa de hóspedes do Vaticano

A Casa Santa Martha, de cinco andares, no interior das muralhas da Cidade do Vaticano, tem 106 suítes

KEITH WEIR, Reuters

11 Março 2013 | 12h07

CIDADE DO VATICANO - Antes de encarar a tarefa de escolher um novo papa esta semana, os 115 cardeais-eleitores estão realizando outra escolha: o sorteio para decidir em qual quarto eles ficam na casa de hóspedes do Vaticano, que será a casa deles durante o conclave.

Alguns vão ficar desapontados, porque a Casa Santa Martha de cinco andares, no interior das muralhas da Cidade do Vaticano, tem apenas 106 suítes. Apesar do nome imponente, estes quartos têm apenas uma cama de solteiro, banheiro e uma escrivaninha pequena.

Os nove cardeais que não ficarão nas suítes terão de se contentar com quartos individuais mais espartanos.

Mas, por mais básico que seja o quarto em Santa Martha, já é uma melhora em comparação a onde os cardeais costumavam dormir antes de a casa ser construída em 1996, por ordem do papa João Paulo 2º.

Durante conclaves anteriores, eles tinham camas improvisadas em alojamentos temporários no Vaticano, muitas vezes com cortinas dividindo o espaço entre um e outro, como em uma enfermaria de hospital.

Além de fazer uma divisão justa dos quartos, o sorteio serve para garantir que facções de um país ou que apoiam um candidato recebam quartos aleatoriamente para evitar que eles consultem a estratégia do quarto ao lado na casa de hóspedes.

No aguardo do novo papa ficará o quarto maior, mas também simples, o 201, o único apartamento no bloco de residências em pedra amarela.

Este apartamento tem móveis em madeira e salas adicionais para sediar reuniões para o novo pontífice, que pode morar lá por algumas semanas até que o Palácio Apostólico papal seja renovado.

Para aumentar o clima austero de Santa Martha, televisão, telefone, wifi e outros meios de comunicação são bloqueados para manter o sigilo do conclave.

Santa Martha fica apenas a algumas centenas de metros da Capela Sistina, onde os cardeais irão iniciar o processo na terça-feira de eleger um sucessor para o papa Bento 16, depois de sua decisão no mês passado de renunciar ao posto.

Cardeais, muitos deles idosos, poderão usar um ônibus para chegar à capela se não quiserem caminhar ou se houver alguma das tempestades de primavera de Roma.

Os cardeais-eleitores ficaram em Santa Martha pela primeira vez em 2005, quando Bento foi escolhido para liderar os 1,2 bilhão de católicos do mundo, depois da morte de João Paulo 2o.

O prédio fica no local de um hospital construído em 1891 para as vítimas da cólera.

Dois médicos estarão à disposição em caso de qualquer um dos cardeais adoecer, enquanto sacerdotes vão ouvir confissões em uma variedade de idiomas. Assim como os cardeais, eles irão jurar segredo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.