Cardeal belga sugeriu adiar declaração em caso de abuso sexual

O ex-líder da Igreja Católica da Bélgica sugeriu a uma vítima de abuso sexual que seria melhor que um comunicado público sobre o caso fosse adiado, até que o bispo envolvido renunciasse em 2011, disse um porta-voz da Igreja no sábado.

JULIANE VON RE, REUTERS

28 Agosto 2010 | 18h50

Junger Mettepenningen confirmou a transcrição feita no jornal belga De Standaard, de um encontro que o cardeal Godfried Danneels teve com o bispo Roger Vangheluwe e uma vítima dele de abuso sexual, em abril de 2010.

"É verdade que esse encontro e essa conversa aconteceram e que a transcrição está correta", disse Mettepenningen à Reuters.

O porta-voz de Danneels, Toon Osaer, disse à Reuters que o cardeal não escondeu nada e falou abertamente sobre o encontro de abril de 2010, depois que Vangheluwe renunciou, duas semanas após o encontro.

Na transcrição publicada no De Standaard no sábado, Danneels sugeria que a vítima deveria esperar para falar sobre o abuso, depois que Vengheluwe se aposentasse, no ano seguinte.

Ele disse ainda que acreditava que uma declaração pública não seria interessante para nenhum dos dois, nem para a vítima nem para o bispo.

"Não sei se vai haver alguma vantagem em fazer muito estardalhaço sobre isso para nenhum de vocês."

Vangheluwe renunciou depois de confessar ter abusado da vítima durante anos, tanto enquanto era padre, quanto depois, quando foi bispo.

Danneels renunciou em janeiro e foi arrolado como testemunha de uma investigação de abuso sexual na Igreja belga.

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAOBELGAABUSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.