Cardeal diz que há 'menos de 1%' de padres católicos pedófilos

Madariaga atribuiu a amplitude do assunto à 'manipulação tendenciosa' feita pela imprensa

Ansa,

15 de janeiro de 2009 | 17h58

O cardeal hondurenho Oscar Rodríguez Madariaga afirmou nesta quinta-feira, 15, que "menos de 1%" dos sacerdotes católicos no mundo estão envolvidos em casos de pedofilia.  Em declarações à televisão mexicana, o ex-presidente do Episcopado Latino-Americano atribuiu a amplitude do assunto à "manipulação tendenciosa" dos meios de comunicação.  Madariaga declarou que a pedofilia é "mais uma doença mental do que sexual".  "Uma criança inspira respeito, ternura, bondade e carinho e, certamente, quando existem estas coisas (pedofilia), trata-se de pessoas perturbadas mentalmente", afirmou.  O cardeal, que participa no México do 6º Encontro Mundial das Famílias, organizado pelo Vaticano, declarou que há muitos casos de "pais de família" que abusam de seus filhos e de professores que fazem o mesmo com seus alunos, mas que esses "não aparecem na mídia".  "Parece que há pessoas que têm anticorpos contra a hierarquia católica", declarou.  Há dois dias, um sacerdote católico foi preso pela polícia mexicana na província mexicana de Veracruz, acusado de abusar "de vários internos" de um orfanato municipal, que lhe eram encaminhados por uma suposta freira em troca de dinheiro.  "Madre Martha" é indicada como a pessoa que "levava sempre" as crianças à residência do padre, sob o argumento de que se confessariam.

Tudo o que sabemos sobre:
religiãopedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.