Cargueiro Julio Verne deixará ISS um mês após o previsto

Decisão foi tomada após calcularem que combustível é suficiente para prolongar viagem até setembro

Efe

30 de maio de 2008 | 16h47

O cargueiro espacial europeu Julio Verne se desprenderá da Estação Espacial Internacional (ISS) um mês depois do previsto, anunciou nesta sexta-feira, 30, o Centro de Controle de Vôos Espaciais da Rússia (CCVE).   "O desenganche da nave estava previsto inicialmente para agosto. No entanto, o cargueiro continuará acoplado à ISS até setembro", assinalou um porta-voz do CCVE.   Esta decisão foi tomada pelos centros de controle de vôo russo e europeu, após calcularem a quantidade de combustível que resta no cargueiro, que aparentemente supera o que havia sido estimado anteriormente.   "A nave é muito econômica quanto ao consumo de combustível, tanto para seu vôo quanto para as manobras de correção da órbita da ISS. Por isso, continuará sendo utilizada até consumir os depósitos", acrescentou.   Segundo o porta-voz, "só se deixará o combustível necessário para que o Julio Verne possa abandonar a órbita."   Além disso, assinalou que a próxima correção da órbita da ISS com ajuda do cargueiro europeu ocorrerá no final de junho.   Em abril, o Julio Verne elevou em mais de quatro quilômetros e meio a altura da órbita da Estação Espacial, em sua primeira manobra de correção.   O lançamento do cargueiro europeu foi realizado em 9 de março a partir da base de Kurú, na Guiana Francesa.   A nave, que se acoplou à ISS em 3 de abril, transportou equipamento científico, alimentos, água e oxigênio para os tripulantes da plataforma orbital.   O cargueiro deve liberar a plataforma orbital de até 6.400 quilos de lixo e equipamento científico obsoleto.

Tudo o que sabemos sobre:
ISSEspaçociência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.