Cargueiro russo Progress se acopla à ISS

Cargueiro russo entregará cerca de duas toneladas de carga vital para os três ocupantes da Estação

Efe

16 de maio de 2008 | 21h06

O cargueiro russo Progress se acoplou nesta sexta-feira, 16, com sucesso à Estação Espacial Internacional (ISS) quando o orbitador passava pela costa atlântica da América do Sul, informou o controle da missão no Centro Espacial Johnson da Nasa.   "O acoplamento está confirmado. Aconteceu sem inconvenientes às 18h39 (de Brasília), apenas dois minutos depois do previsto, sobre a costa do Brasil", assinalou.   O cargueiro russo, que partiu na quarta-feira, 14, da base cazaque de Baikonur, entregará cerca de duas toneladas de carga vital para os três ocupantes da ISS.   Rob Naivas, do Centro Espacial Johnson da Nasa comemorou em Houston (Texas). "Tudo aconteceu como se tinha previsto. Não houve dificuldades", acrescentou, enquanto os integrantes da ISS se preparavam para firmar os ganchos que manterão unidos o veículo russo e o complexo internacional no espaço.   A nave russa utilizou o sistema Kurs automático de acoplamento sob o olhar vigilante do comandante Serguei Volkov, que estava pronto para assumir os controles manuais, caso fosse necessário.   O cargueiro não-tripulado, que partiu na quarta-feira da base cazaque de Baikonur, entregará mais de duas toneladas de carga vital para os três ocupantes da ISS.   "Agora iniciam as operações para garantir o acoplamento e amanhã começa a transferência das 2,3 toneladas de carga", indicou o controle.   Essa carga inclui 420 quilogramas de água em depósitos, 50 de ar e oxigênio em bujões, 1,23 toneladas de combustível, 258 quilos de comestíveis e alimentos frescos em contêineres, 126 de remédios e outros 128 de artigos de higiene pessoal.   Uma vez que os inquilinos da Expedição 17 da ISS tenham terminado essa transferência, o Progress será carregado com os resíduos e lixo acumulado na estação espacial.   Após cumprir sua missão, o cargueiro se desajustará e iniciará uma órbita de descida até desintegrar-se ao se chocar com a atmosfera.   O "Progress M-64", que é similar às naves Soyuz, é o primeiro cargueiro que recebe a atual missão permanente da ISS, a número 17, integrada pelos cosmonautas russos Volkov e Oleg Kononenko, e o astronauta americano Garret Reisman.   As naves Soyuz, que têm capacidade de carga e transporte de tripulantes, substituirão as naves americanas depois de 2010.   A visita do cargueiro russo ao complexo internacional no espaço ocorre duas semanas antes da chegada da nave americana "Discovery", que levará a segunda parte do laboratório espacial japonês "Kibo".

Tudo o que sabemos sobre:
ISSRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.