Caricaturas: afegãos protestam contra imprensa dinamarquesa

300 parlamentares afegãos condenaram a iniciativa dinamarquesa de republicar as charges

Ansa

05 de março de 2008 | 16h45

Cerca de 5 mil afegãos saíram nesta quarta-feira, 5, às ruas de Pul-i-Alam, capital da província de Logar, para protestar contra a republicação, por vários jornais dinamarqueses, das caricaturas de Maomé que em 2006 suscitaram duras reações do mundo muçulmano. Na terça-feira, 4, 300 parlamentares afegãos condenaram a iniciativa dinamarquesa, assim como a decisão do deputado holandês de extrema direita Geert Wilders de divulgar um vídeo contra o Alcorão. Os deputados pediram ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, que convocasse imediatamente os embaixadores da Dinamarca e da Holanda e fizesse um protesto oficial. A manifestação desta quarta-feira, 5, a mais numerosa dos últimos dias, conta com a presença de estudantes a religiosos, alguns dos quais queimando bandeiras holandesas e dinamarquesas. Os manifestantes também pedem que o mundo muçulmano se una aos palestinos, fornecendo armas e dinheiro. No domingo, 1, o secretário-geral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer, se mostrou preocupado com a segurança das tropas da Holanda (cerca de 1.600 homens), "das quais sou responsável", após o anuncio taleban de que os ataques contra os holandeses seriam intensificados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.