Carnaval do voluntariado ambiental

Vinte voluntários vão passar o Carnaval entre as praias de Trindade, Martim de Sá e Pouso da Cajaíba, junto à Área de Proteção Ambiental (APA) de Cairuçu, na divisa dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, colaborando com a Fundação SOS Mata Atlântica numa campanha de sensibilização, para diminuir o lixo nas praias e no mar, iniciar a coleta seletiva e reduzir a degradação ambiental. Dirigida tanto a turistas, quanto a caiçaras, a campanha inclui mutirões de limpeza e distribuição de sacos de lixo no cais, de onde partem os barcos de passeio para as ilhas e praias mais isoladas, daquele trecho de litoral. A expectativa é de que todo o lixo gerado nos passeios seja levado de volta ao cais, onde será separado e devidamente destinado à reciclagem ou aterros.?Para os voluntários é uma espécie de prêmio, pela participação ativa ao longo do ano, em outras campanhas, de plantio de mudas, mutirões de limpeza, coleta de assinaturas em abaixo-assinados e outras ações do gênero?, diz Beloyanis Bueno Monteiro, responsável pelo programa de voluntariado ambiental da SOS Mata Atlântica, chamado ?Plantando Cidadania? e criado em 1997. O programa tem um extenso cadastro de candidatos a voluntários e pelo menos 100 pessoas participam ativamente de ações ambientais. São advogados, biólogos, analistas de sistemas e estudantes, que dispensam algum tempo livre para atividades em defesa do meio ambiente ou se dispõem a ir a escolas municipais dar palestras e tratar da educação ambiental. ?Todos passam por um breve curso de capacitação e têm direitos e deveres, tornando-se agentes multiplicadores das atividades da fundação?, continua Monteiro.Em ações como a deste Carnaval, eles são alojados em escolas, igrejas ou acampamentos e têm turnos, podendo alternar trabalho e lazer. No Pouso da Cajaíba, onde vivem 70 famílias caiçaras, serão feitas visitas de casa em casa e instalados conteiners para separação do lixo. A coleta seletiva deverá continuar após o Carnaval, beneficiando os moradores do Cairuçu, onde a SOS Mata Atlântica mantém outros projetos de apoio há 4 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.