Carne de gado clonado parece segura, diz agência britânica

A carne e o leite de gado clonado não apresentam diferença de composição em relação a animais criados tradicionalmente, e por isso provavelmente não há riscos no consumo desses produtos, segundo a agência reguladora de alimentos da Grã-Bretanha.

REUTERS

26 Novembro 2010 | 13h25

Depois de uma reunião pública na quinta-feira, o Comitê Consultivo sobre Novos Alimentos e Processos disse que, apesar das suas conclusões, os consumidores têm o direito de receber nos rótulos a informação de que se trata de produto de origem clonada - em parte devido às preocupações com o bem-estar dos animais.

A Comissão Europeia recentemente recomendou uma suspensão de cinco anos no uso de animais clonados para a produção de alimentos da União Europeia. O Parlamento Europeu e os países do bloco estão atualmente debatendo a proposta, que abrangeria também a carne e o leite de animais descendentes de clones.

A Agência de Padrões Alimentares da Grã-Bretanha alertou neste ano que a carne da prole de uma vaca clonada havia entrado na cadeia alimentar do país, e estava sendo consumida sem a devida autorização.

(Reportagem de Nigel Hunt)

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHA BOI CLONADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.