Casal de ex-prefeitos é pego com aves silvestres

Fiscais do escritório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) de Araçatuba apreenderam cerca de 100 pássaros silvestres mantidos em cativeiro na chácara Morada do Sol, de propriedade do casal de ex-prefeitos da cidade, Germínia e Sylvio José Venturolli. Presos em gaiolas e viveiros, os pássaros, segundo o Ibama, estavam mal alimentados e em condições precárias de higiene. Foram constatados crime ambiental e irregularidades administrativas. Dois papagaios foram levados pelos fiscais do Ibama, que nesta segunda-feira voltam à chácara para retirar o restante das aves. O ex-prefeito e ex-deputado federal Sylvio Venturolli disse à Agência Estado que há mais de 60 anos criava as aves na chácara, de diversas espécies, como azulões, pintassilgos, araras, papagaios, curiós e canários da terra. Ele negou que as aves estivessem em condições insalubres. "Todo mundo conhece minha criação, que existe antes deste tipo de atividade se tornar crime. E não existia nenhuma ave em condição inadequada", disse. Venturolli diz que agora sentirá saudades dos pássaros. "A gente sempre se apega aos bichinhos", disse. Segundo ele, o Ibama informou que os pássaros serão levados para um criadouro do órgão em Urânia especializado aves silvestres. Pela manutenção dos pássaros em cativeiro, o casal de políticos foi enquadrado na lei 9.065/98, de crimes ambientais, que prevê penalidade de seis a meses a um ano de detenção e aumenta a pena pela metade se alguma das aves apreendidas for considerada rara ou de espécie em extinção. Além disso, os Venturollis também levarão uma multa, que pode chegar até a R$ 5 mil por ave.

Agencia Estado,

01 de maio de 2004 | 14h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.