Cassini passa a 50 km da superfície de lua de Saturno

A Cassini chegou a Saturno em 2004. Recentemente sua missão, prevista para durar quatro anos, foi renovada

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

12 de agosto de 2008 | 14h44

A Nasa informa que a sonda Cassini, enviada para explorar o planeta Saturno e seu sistema de luas, já começou a enviar dados de sua passagem a 50 km da superfície de Encélado, um dos satélites do planeta gigante. Cientistas estão interessados em Encélado porque gêiseres de vapor d'água localizados no pólo sul do astro podem ser a fonte do material que compõe um dos anéis de Saturno. Além disso, há a possibilidade de que esses gêiseres sejam alimentados por uma fonte de água em estado líquido, um dos requisitos para a vida.   "Temos o prazer de informar que a Cassini começou a mandar dados para casa", disse a chefe da equipe da Cassini no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, Julie Webster, na madrugada desta terça-feira (hora de Brasília). A aproximação máxima ocorreu, no horário brasileiro, às 19h21 de segunda, enquanto a nave viajava a 17,1 km por segundo, ou mais de 60 mil km/h.   Duas outras passagens próximas a Encélado estão previstas para outubro, sendo que em uma delas a aproximação chegará a 25 km. A lua mede 500 km de diâmetro, ou sétimo do diâmetro da Lua da Terra. A Cassini foi lançada no final do século passado e chegou a Saturno em 2004. Recentemente sua missão, prevista para durar quatro anos, foi renovada. Ela levou da Terra a sonda européia Huygens, que foi lançada na superfície de Titã, uma lua que tem uma densa atmosfera de hidrocarbonetos, e que enviou imagens de seu mergulho na camada de gases, em 2005.   Recentemente, análise de dados de Titã obtidos pela Cassini permitiu que cientistas afirmassem que a lua possui lagos de hidrocarboneto em sua superfície, tornando-se o segundo corpo do Sistema Solar onde foi comprovada  apresença de material em estado líquido na superfície, depois da Terra.

Tudo o que sabemos sobre:
saturnocassininasaesaencélado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.