CBI condena plano japonês de dobrar caça a baleias

A Comissão Baleeira Internacional (CBI) condenou nesta quarta-feira o projeto do Japão de aumentar em dobro sua caça às baleias Minke. Por 30 votos contra e 27 a favor, a CBI aprovou a proposta australiana pedindo ao Japão que abandone o projeto de dobrar a captura dessa espécie, que atualmente é de 440 cetáceos por ano, feita oficialmente com fins científicos. A conferência anual da CBI começou dia 20 de junho em Ulsan, antigo porto baleeiro da costa ocidental da Coréia do Sul. A moratória que proíbe a caça dos cetáceos, de 1986, foi mantida por 29 votos contra 23 e 6 abstenções. Para continuar em vigor, a medida precisava da aprovação de dois terços dos 66 membros da CBI. O Brasil votou pela manutenção da proibição.O Japão alegou que a população das espécies protegidas, em risco de extinção, já teve tempo para se recompor o suficiente para suportar a caça com algumas limitações.

Agencia Estado,

22 de junho de 2005 | 05h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.