Censo da vida marinha apresenta grandes descobertas

Polvos de águas profundas e estrelas-do-mar quebradiças estão entre os achados dos cientistas

AP

09 de novembro de 2008 | 17h37

Uma cidade de estrelas-do-mar quebradiças na costa da Nova Zelândia, um caminho onde polvos nadam em água extremamente salgada e um carpete de frágeis crustáceos no fundo do Golfo do México estão entre as maravilhas descobertas por pesquisadores em um censo da vida marinha.   "Nós ainda estamos fazendo descobertas," mas os pesquisadores também estão montando os dados já coletados dentro da gama da vida nos oceanos, disse o cientista sênior Ron O'Dor.   A quarta atualização do censo foi lançada no domingo, 9, frente a um encontro de centenas de pesquisadores que começa na terça em Valência, na Espanha. Mais de dois mil cientistas de 82 países estão participando do projeto, que está previsto para terminar em 2010.   Uma descoberta que deixa O'Dor contente é que muitos polvos do fundo do mar dividem uma origem antártica. Conforme a Antártida foi ficando mais fria, o gelo aumentou e os polvos foram forçados para as profundezas.   Sal e oxigênio estão concentrados nas águas mais profundas, ele disse. Esta água densa então flui, carregando os polvos que se adaptaram às novas condições, possibilitando-os a se locomover por águas profundas ao redor do mundo.   Os polvos das profundezas do mundo, ele disse, não possuem o saco de tinta que permite aos seus primos de águas rasas de utilizarem a camuflagem. Contudo, se eles vivem onde é escuro, a tinta é desnecessária, disse O'Dor, um membro canadense do time de pesquisa.   Patricia Miloslavich, uma cientista sênior venezuelana, está empolgada com as descobertas de moluscos, caramujos, chocos e lulas.   Uma vez que o censo estiver completo, o plano é publicá-lo em três livros: uma pesquisa popular sobre a vida marinha, um segundo livro com capítulos de cada grupo de trabalho e um terceiro livro focando na biodiversidade.   O'Dor disse também que os pesquisadores estão trabalhando com o jornal científico online PLoS ONE, que está aberto a qualquer um e deste modo fazem os resultados ficarem disponíveis imediatamente.

Tudo o que sabemos sobre:
Vida marinhacesodescobertascientistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.