Cérebro subestima a força do corpo, diz estudo britânico

Cientistas da Grã-Bretanha anunciaram ter descoberto que o cérebro, aparentemente, subestima a força física aplicada pela pessoa quando em contato com outra. A descoberta pode ter implicações para alguns pais e mães de crianças levadas, que podem não ter noção da força aplicada nas palmadas. O doutor Sukhwinder Singh Shergill e outros pesquisadores do University College, de Londres, analisaram seis pares de pessoas, que foram solicitados a usar a força em diversos experimentos. Foi pedido, por exemplo, a um membro de cada par que apertasse os dedos do seu parceiro. Em seguida, foi pedido à outra pessoa que aplicasse de volta a mesma força nos dedos do primeiro. O ciclo foi repetido oito vezes."O resultado da pesquisa indica que, para se ter a mesma sensação de força, você precisa usar mais força", disse o doutor Shergill. "É amplamente sabido que há um mecanismo no cérebro que faz com que subestimemos os efeitos de nossas próprias ações, mas esta é a primeira vez que seus efeitos são medidos", afirmou.Os estudiosos acham que a chave para entender o fenômeno é o fato de que o cérebro, ao perceber um movimento, se prepara para ordenar uma resposta física. Esse "alerta", porém, faz com que a resposta seja exagerada.Eles acreditam que o mesmo processo explicaria o fato de uma pessoa não conseguir fazer cócegas em si mesma: o cérebro sabe o que esperar. No entanto, se outra pessoa tentar o mesmo, pode pegar a ?vítima? desprevenida, permitindo a reação.A pesquisa foi publicada na revista americana Science. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

Agencia Estado,

11 de julho de 2003 | 13h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.