Cetesb apura omissão sobre depósitos de fundições

A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) abriu inquérito administrativo para apurar denúncia de omissão em Piracicaba. O inquérito foi pedido pela bancada ambientalista do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) porque, segundo o conselheiro Carlos Bocuhy, pelo menos 1 milhão de toneladas de resíduos de areia de fundição utilizados em indústrias siderúrgicas de Piracicaba estão depositados irregularmente sobre o solo, em locais improvisados.Bocuhy, que é da bancada ambientalista, comentou que somente em uma das empresas visitadas há 500mil toneladas de resíduos armazenados de maneira irregular. Ele afirmou que as siderúrgicas de Piracicaba produzem por mês cerca de 25 mil toneladas desse material. ?Não há destinação adequada e os depósitos irregulares aumentam."Os resíduos de areia contêm metais pesados e fenóis, altamente poluentes, conforme Bocuhy. O Consema quer que a Cetesb apure se houve omissão por parte do órgão em Piracicaba em buscar solução para o problema. Na Cetesb de Piracicaba ninguém quis falar sobre o assunto. O gerente da Cetesb na cidade, Aldo José Calobone, foi afastado por 30 dias, para as investigações.

Agencia Estado,

05 de fevereiro de 2004 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.