China começa a montar nova base de pesquisa na Antártida

Os principais objetivos da base são o estudo das geleiras e da atmosfera, astronomia, topologia e geofísica

Efe,

29 de janeiro de 2009 | 18h33

A China começou a instalação de sua terceira base de pesquisa na Antártida, a Kunlun, situada na geleira mais alta da região, a 4.093 metros de altitude, informou nesta quinta-feira, 29, a imprensa local chinesa.   Veja também: Aquecimento pode destruir plataforma de gelo da Antártida Entenda os rumos da negociação sobre mudança climática Mapa da emissão de carbono    Trata-se da primeira base chinesa em terra firme na Antártida, já que o país asiático conta com outras duas litorâneas, informou nesta quinta-feira, 29, o diário oficial China Daily.   Outros seis países têm bases similares em terra firme na Antártida: Estados Unidos, Rússia, Japão, França, Itália e Alemanha.   A base Kunlun é preparada para cobrir uma área de 558,5 metros quadrados e a instalação em si, de 236 metros quadrados, terminará em abril, quando a expedição retornar à China.   Os principais objetivos da Kunlun são o estudo das geleiras e da atmosfera, astronomia, topologia e geofísica.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciaChinaAntártida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.