China confirma quarto foco de gripe aviária em um mês

As autoridades chinesas informaram a detecção de um quarto foco de gripe aviária entre aves em um mês, o oitavo este ano, segundo o relatório enviado pelo Ministério da Agricultura à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). O foco foi identificado na localidade Badaohao, na província nordeste de Liaoning, em 26 de outubro. No final da noite de quinta-feira foi confirmada a presença do vírus letal H5N1. A cepa foi localizada em 82 mil aves. Do total de animais infectados morreram 8.940 frangos e outras espécies de aves selvagens não especificadas, segundo o relatório do Laboratório Nacional de Referência da Gripe Aviária em Harbin (Heilongjiang, nordeste da China). As autoridades sacrificaram 369.900 aves em vários quilômetros em torno do local onde foi localizado o foco, uma medida habitual a cada vez que é descoberto um novo foco de gripe aviária, além de vacinar cerca de 13,9 milhões de aves em toda a província. Focos confirmados - O primeiro foco de gripe aviária na China este ano foi em 21 de maio, após a descoberta da doença em 519 aves selvagens na província de Qinghai (noroeste), sendo que o vírus reapareceu com a chegada do frio em um foco confirmado em 19 de outubro na Mongólia Interior (norte), com um saldo de mais ou menos 2.600 aves mortas. Em 20 de outubro foi confirmado outro foco em Anhui (leste), com 550 aves mortas, e dois dias depois um outro em Hunan (centro), com a morte de 545 animais. Esta mesma semana o Conselho de Estado chinês decidiu destinar um fundo de 225 milhões de dólares para prevenir e controlar a epidemia, endêmica na Ásia e que reaparece com a chegada do frio. Embora na China não tenham sido registrados casos entre humanos desde a reaparição do vírus em 2003, tanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) como o Banco Mundial reconhecem que pouco se pode fazer com um sistema de controle, se os possíveis infectados não forem ao médico porque não têm dinheiro para o tratamento. Nos últimos dois anos, o vírus letal H5N1 afetou 121 pessoas no sudeste asiático, sendo que 62 morreram (no Vietnã, Tailândia, Indonésia e Camboja), e dezenas de milhões de aves. A chegada de aves migratórias e de abate infectadas a diferentes pontos da Europa oriental está causando pânico no mundo todo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.