Chineses tentam provar que Everest está ´crescendo´

Uma expedição chinesa chegou, neste domingo, ao topo do monte Everest, na fronteira da China com o Nepal, para tentar comprovar a teoria de que a montanha está "crescendo" lentamente.O grupo de 24 alpinistas e cientistas ergueu um farol de rastreamento no local e usou um radar para conseguir realizar as medições, que serão apresentadas em agosto.Em 1975, outra equipe chinesa calculou que altura do Everest era de 8.848,13 metros, alguns centímetros a mais do que o resultado obtido por um técnico indiano, em 1954.Há seis anos, um grupo de pesquisadores americanos registrou uma marca quase 2 metros mais alta, usando tecnologia de satélites de posicionamento global (GPS).A explicação para o fenômeno estaria no movimento das placas tectônicas da Terra, que está forçando a cordilheira do Himalaia para cima, levando o Everest a "crescer" cerca de um centímetro por ano.Mas a altura exata do Everest tem sido alvo de controvérsias. Um estudo recente mostra que a montanha teria "perdido" 1,3 metro por causa do aquecimento global, que pode ter provocado derretimento do gelo de suas encostas.

Agencia Estado,

23 de maio de 2005 | 09h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.