Chuva traz esperança de fim da seca na Amazônia

Quatro municípios amazonenses anunciaram neste domingo que estavam sob chuvas e acenderam a esperança de que esteja para acabar a dramática seca que castiga a região, que tem o maior reservatório de água do doce do planeta. Pela manhã chovia em Guajará e Carauari, ambas no Rio Juruá, em Tocantins, no Alto Solimões, e em Humaitá, no Rio Madeira.Essa chuva não é ocasional, pois agora começa o "inverno" amazônico, a estação das chuvas.Mas apesar de já estar chovendo em alguns municípios, a previsão dos meteorologistas é de que a água acumulada das chuvas ainda leve aproximadamente 30 dias para chegar a lugares mais distantes, onde a seca tem sido inclemente.A seca quebrou a tradicional forma de interligação das comunidades na Amazônia, o transporte fluvial. Com a baixa vazão dos rios, tornou-se difícil e, em muitos locais, impossível, chegar a muitas comunidades ribeirinhas. As comunidades indígenas ficaram praticamente isoladas, pois à grande maioria delas só se chega de barco.O governo estadual contratou cinco helicópteros para atuar no transporte de alimentos e medicamentos a comunidades isoladas, mas eles estão se mostrando insuficientes. "Estamos agora dependendo da FAB", disse o governador Eduardo Braga.As ações estão sendo feitas em parceria com Exército, Marinha e Aeronáutica, que ajudam a levar, às comunidades isoladas, carregamentos de alimentos, de medicamentos e, principalmente, de hipoclorito de sódio, um purificador da água que é fundamental para garantir a saúde das pessoas porque o que restou de água nas fontes naturais está contaminado por uma enorme quantidade de peixes mortos.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2005 | 23h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.