Cientistas criam bateria que se recarrega com o andar humano

Com um aparato em cada perna dos voluntários gerou-se cerca de 5 watts, energia suficiente para 10 celulares

Efe,

07 de fevereiro de 2008 | 18h43

Cientistas americanos e canadenses inventaram um dispositivo montado numa pequena roda que armazena energia a medida em que a pessoa caminha, como fazem os automóveis híbridos, revelou um estudo divulgado nesta quinta-feira, 7, pela revista Science. Segundo os cientistas da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, e de Burnaby, no Canadá, com um aparato em cada perna dos voluntários gerou-se cerca de 5 watts, energia suficiente para o funcionamento de 10 celulares ao mesmo tempo ou duas vezes a energia necessária para um computador.   A invenção possui uma pequena roda ortopédica equipada com um motor simples e um sistema de acoplagem com uma única velocidade. Seis voluntários utilizaram o aparato enquanto caminhavam. Os cientistas mediram o uso de oxigênio de cada pessoa e sua produção de dióxido de carbono para saber quanta energia é necessária para a invenção funcionar.   Foi medido também o rendimento energético com a velocidade em reverso, o que permitiu às pessoas produzirem cerca de 5 watts sem grandes esforços. Ao correr, um dos voluntários gerou 54 watts de energia, porém o custo do seu esforço extra ainda é desconhecido.   Os cientistas destacaram no estudo que esta estratégia de criação de energia humana poderia ser útil em regiões remotas na geração de energia para computadores. A curto prazo, a invenção poderia ajudar a impulsionar braços robóticos em pessoas que perderam seus braços. Também poderia estender a vida de baterias de bombas de insulinas implantadas no corpo e aliviar a carga que os soldados levam nos campos.   Esta é a primeira vez que o movimento humano é usado para geração de energia elétrica. Em experiências anteriores, os cientistas tentaram aproveitar a energia humana mediante aparatos instalados em mochilas e sapatos. Sem sucesso, esses geradores produziram apenas 0,8 watts e a mochila mostrou-se muito pesada, concluíram.

Tudo o que sabemos sobre:
energia humanabateria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.