Cientistas criam novos elementos "superpesados"

Cientistas russos e americanos dizem ter criado dois elementos "superpesados" que vão residir no fim da tabela periódica: o Unúntrio, número 113, e Ununpêntio, 115. Após serem criados num acelerador de partículas, átomos dos elementos recém-descobertos existiram por frações de segundo. Eles representam formas não usuais da matéria, com propriedades que vão bem além daquelas dos 92 elementos que ocorrem naturalmente na Terra.Os elementos superpesados podem ser gerados abundantemente por explosões de supernovas, e talvez tenham existido nas altíssimas temperaturas da aurora do universo. É provável que essas quantidades tão pequenas de superpesados nunca encontrem um uso cotidiano. Apesar disso, seu nascimento acrescenta detalhes a uma ampla investigação científica para estabelecer uma teoria unificada que explicaria as forças físicas que governam o comportamento da matéria.Dados sobre os novos elementos vão aparecer na edição de fevereiro do jornal Physical Review C, da Sociedade Americana de Física.As descobertas não serão totalmente aceitas e adicionadas aos livros didáticos até que outros laboratórios criem os elementos, processo que pode levar anos. A confiança nos experimentos de estrutura nuclear foi abalada quando comprovou-se falsa a descoberta de dois elementos, em 1999. Mas outros pesquisadores, familiarizados com este estudo, estão confiantes.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2004 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.