Cientistas criam réplica virtual do cérebro de Einstein

Cientistas britânicos criaram uma réplica virtual do cérebro de Albert Einstein, um dos maiores gênios da história, que concebeu a Teoria da Relatividade em 1905 e morreu há 50 anos.A equipe se baseou nas 240 peças em que o cérebro de Einstein foi dividido, após sua morte. Foram usadas também as fotos do cérebro feitas pelo legista Thomas Harvey na autópsia de Einstein, segundo informa a agência Efe.A remodelação do órgão foi feita com a técnica de estereolitografia, que determina precisamente as dimensões dos objetos reproduzidos, utilizando laser.Mais leveO cérebro de Einstein foi preservado exatamente para que a ciência pudesse, anos após sua morte, analisar as possíveis causas de sua genialidade - ainda não determinadas.As 240 partes foram envoltas em celoidina, material transparente e impermeável, que permite examinar o conteúdo em microscópio.As primeiras análises revelaram que o cérebro do cientista tem mais reforçadas do que o normal as conexões que se relacionam com as habilidades matemáticas e o processo de interpretação visual dos elementos que estão no espaço.Os estudos iniciais surpreenderam os médicos por revelar um cérebro com 1.230 gramas, peso menor que a média do cérebro de um adulto (1.400). O córtex cerebral de Einstein era mais fino do que o normal, embora a densidade de seus neurônios fosse superior.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2005 | 12h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.