Cientistas criam Snuppy, o primeiro cão clonado do mundo

Cientistas sul-coreanos anunciaram a clonagem bem-sucedida de um cachorro. Os pesquisadores utilizaram a mesma técnica que permitiu a clonagem da ovelha Dolly para criar um clone a partir de um galgo afegão de três anos. O clone, que nasceu no último dia 24 de abril, ganhou o nome de Snuppy da Universidade Nacional de Seul, informou a revista científica britânica Nature.Snuppy, com pêlo preto, castanho e branco, é geneticamente idêntico ao pai, de acordo com testes de DNA. Este cachorro entra agora no grupo dos animais clonados, formado por ovelhas, camundongos, vacas, gansos, porcos, coelhos, gatos, mulas, cavalos, ratos e um boi selvagem indiano.Dolly, que nasceu na Escócia em julho de 1996, foi o primeiro mamífero a ser criado a partir de uma célula de animal adulto. A técnica, chamada de transferência somática do núcleo da célula, consiste em remover o núcleo de um óvulo e substituí-lo pelo núcleo da célula adulta do animal que será clonado.O embrião assim produzido é introduzido num recipiente com um preparado químico, e recebe uma carga elétrica para estimular sua divisão. Ele continua a crescer num prato, embebido em nutrientes químicos, até se tornar um conjunto de células grande o suficiente para ser implantado no útero da mãe de aluguel.Para os cientistas, os cachorros estão entre os animais mais difíceis de clonar, por causa da dificuldade de adquirir óvulos maduros. Ao contrário de outras espécies de mamíferos, os cahorros ovulam quando seus óvulos ainda são imaturos. Os óvulos imaturos entram num duto especial, onde amadurecem por dois ou três dias.A taxa de sucesso da clonagem ainda é muito baixa. Um total de 1.095 embriões foram transferidos para 123 recipientes. Apenas três resultaram em gestações, e apenas duas das três gestações foram bem-sucedidas. O outro filhote - chamado de NT-2, um nome menos gracioso do que Snuppy - morreu de pneumonia depois de 22 dias.

Agencia Estado,

03 de agosto de 2005 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.