Cientistas da Unesp desenvolvem células ósseas

Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Botucatu conseguiram desenvolver células ósseas a partir de células-tronco, e agora trabalham na aplicação desta técnica na reparação de fraturas graves, na reconstituição de cartilagens e recuperação da calota craniana.Eles também comprovaram que é possível desenvolver tecidos humanos em superfícies de titânio, com total adesão, o que pode abrir caminho para tratamentos como a reposição de dentes.Nos estudos, os pesquisadores inseriram células-tronco humanas adultas em camundongos e coelhos. O material genético usado é fruto de doações feitas para o transplante de medulas ósseas.A pesquisadora Elenice Deffune, do Laboratório de Engenharia Celular da Faculdade de Medicina da Unesp, à Agência Fapesp que os testes com humanos só serão feitos depois de validados os protocolos em animais, "o que não ocorrerá antes de três a quatro anos".A pesquisa feita na Unesp tem apoio da Fundação Amaral Carvalho, de Jaú, e da Universidade do Sagrado Coração, de Bauru.   

Agencia Estado,

18 de agosto de 2004 | 12h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.