Cientistas descobrem novo réptil voador da era dos dinossauros

Animal preenche lacuna na evolução dos dinossauros voadores e é batizado em homenagem a Charles Darwin

EFE,

14 Outubro 2009 | 17h54

ntistas do Reino Unido e da China descobriram o fóssil de um novo réptil voador da era dos dinossauros, segundo a publicação Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences.

 

Batizada de Darwinopterus, a criatura de dentes pontiagudos e pescoço flexível viveu há cerca de 220 milhões de anos e é um dos muitos tipos de pterossauro da era Mesozoica, segundo os cientistas da Universidade de Leicester, na Inglaterra, e do Instituto Geológico de Pequim, que identificaram o réptil.

 

A descoberta é a primeira prova clara de um tipo de evolução incomum e controvertido, já que preenche a brecha evolutiva que havia entre dois tipos de pterossauros: um com cauda longa e outro, seu descendente, com cauda mais curta.

 

De acordo com os pesquisadores, estes dois grupos estavam separados por uma importante brecha no processo evolutivo, identificada pelo naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882) em sua época, mas que agora parece ter se resolvido com esta descoberta.

 

Mais de vinte fósseis do esqueleto do Darwinopterus, alguns deles completos, foram encontrados no início deste ano no nordeste da China em rochas de 160 milhões de anos de idade.

 

O réptil voador tem mandíbulas longas e vivia da caça de outras criaturas voadoras, dizem os pesquisadores.

 

O novo réptil foi batizado de Darwinopterus - que significa "asa de Darwin" - por ocasião das celebrações, em 2009, dos 200 anos do nascimento de Charles Darwin e dos 150 anos da publicação de "A Origem das Espécies", seu estudo mais importante.

 

O professor David Unwin, da Universidade de Leicester, disse que a descoberta do Darwinopterus comoveu os cientistas.

 

"O raro do Darwinopterus é que tem a cabeça e o pescoço como os pterossauros avançados, enquanto o resto do esqueleto, incluindo uma cauda muito longa, é idêntico às formas primitivas", destacou.

 

Unwin acrescentou que a idade geológica do Darwinopterus e sua estranha combinação de características avançadas e primitivas dão mais informações sobre a evolução dos pterossauros.

 

Esta evolução deste tipo de animal, ressaltou Unwin, foi rápida, com muitas mudanças concentradas em um curto período de tempo, e suas estruturas importantes, como o crânio, o pescoço e a cauda, "parecem ter evoluído juntas".

 

"A cabeça e o pescoço evoluíram primeiro, seguidos pelo corpo, cauda, asas e patas", explicou o professor.

Mais conteúdo sobre:
dinossauro darwin réptil fóssil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.