Cientistas descobrem ponto brilhante em lua de Saturno

Depois de a espaçonave Cassini ter estudado intensamente o satélite Titan, a lua de Saturno, ou ainda a sonda Huygens ter aterrissado em sua superfície, surge agora um novo mistério: foi descoberto um ponto brilhante no hemisfério sul da lua. O local, que mede algo em torno de 275 milhas quadradas, é brilhante em todas as radiações, embora ainda mais intensa na porção infravermelha de seu espectro.Como a Titan possui uma atmosfera opaca e nublada (causada pela presença de metano e outros hidrocarbonetos), descobrir o que há por trás do brilho envolve uma série de especulações, respaldadas num processo de eliminação de hipóteses.Cientistas do Planetário da Universidade de Arizona fizeram algumas especulações, ao lado de colegas da Nasa e outras instituições. A conclusão, publicada na revista Science, é que o ponto é resultado de uma provável combinação de diferentes produtos na composição química da superfície.O ponto brilhante visto inicialmente em imagens compiladas pelas câmeras da Cassini durante diversos vôos desde metade de 2004, também pôde ser observada de telescópios localizados na superfície do satélite, o que descarta a possibilidade de se tratar de uma nuvem.De acordo com o radar da Cassini, a superfície não é especialmente mais quente ou mais fria do que em outras áreas. Cientistas pensavam que uma temperatura mais alta poderia indicar uma região de vulcões ativos, estruturas que despejam gelo e metano na atmosferas. Uma temperatura mais fria, por outro lado, poderia ser indício de uma montanha muito alta.Isso dá margem à teoria de que a superfície na área analisada está recoberta de algum material que reflita a luz do Sol. Outra probabilidade é que o local é constituído por dióxido de carbono.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2005 | 12h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.